Desafio de gestores e organizações é identificar e administrar os fatores que contribuem para o desempenho profissional ótimo; que fatores são esses?

Eduardo (nome fictício) é uma pessoa otimista, motivada e feliz com a vida. No trabalho, porém, sente-se injustiçado pelo chefe, que trata diferente quem não faz parte de seu círculo mais próximo. Também sente que o trabalho em seu setor já não proporciona o mesmo nível de desafio e engajamento de outrora.

Mesmo assim, Eduardo receia mudar de setor porque a decisão só é reversível após alguns anos e ele teme não se adaptar. Gosta de trabalhar em equipe, especialmente em grupos pequenos, que parecem funcionar melhor. Sempre que o chefe dá espaço, faz sugestões para melhorar as rotinas. Em uma pesquisa de satisfação promovida pela sua organização, declarou-se moderadamente satisfeito.

 Equação motivacional

O exemplo foi criado para ilustrar a complexidade do conceito de motivação no trabalho. Diferentes fatores influenciam o comportamento nesse contexto. Eles interagem entre si e variam de importância com o passar do tempo. Muito da energia individual vem, por exemplo, de características pessoais.

A evidência científica aponta que até 50% do nível de felicidade individual vem da genética, relacionada a traços de personalidade como extroversão e otimismo. Pessoas otimistas geralmente se declaram satisfeitas com o trabalho, com o casamento e com sua vida de maneira geral. Porém as características pessoais são apenas parte da complexa equação motivacional.

“Erro de atribuição”

Um erro muito comum – conhecido na literatura científica como “erro fundamental de atribuição” – é atribuir todo o desempenho individual, em qualquer contexto, a características pessoais, ignorando o peso de outros fatores. O desafio para gestores e organizações reside em entender e administrar os fatores que contribuem para o desempenho profissional ótimo. Mas que fatores são esses?

Uma equação para medir a motivação no trabalho em determinado momento  seria composta por elementos como: características individuais, fatores intrínsecos, fatores extrínsecos, efeitos da liderança, equidade, confiança, conexão emocional, identidade e comunicação.

Duas ressalvas são necessárias: (1) frequentemente níveis insatisfatórios em um desses pontos podem comprometer toda a motivação do profissional; (2) a cultura organizacional é a fonte de onde emanam os fatores exteriores ao indivíduo, sendo a influência mais poderosa (por não ser percebida) sobre o comportamento organizacional. Estruturar o trabalho para favorecer a motivação envolve lidar com todos esses fatores.

Construção cultural

O trabalho é uma construção cultural e pode ser remodelado, por exemplo, com o redesenho de atividades (job crafting) ou a construção de um ambiente com foco exclusivo em resultados (results-only work environment).

Virtualmente qualquer trabalho é passível de ser configurado para favorecer a expressão das potencialidades humanas, em especial aquelas necessidades inatas e universais (são os fatores intrínsecos): autonomia, competência e relacionamento social.

Estado de fluxo

Os seres humanos são ávidos por conferir sentido a fatos de sua vida, mas o trabalho, além de fornecer significado e propósito, deve permitir um nível ótimo de desafio – que muda com o tempo e varia de acordo com a pessoa.

A compatibilização de desafios com as competências pessoais em um nível ideal propicia o que é conhecido na literatura como estado de fluxo e é condição necessária para o desenvolvimento profissional.

Respeito e justiça

Uma das lentes que o ser humano usa para monitorar seu ambiente social é a da justiça. O ambiente de trabalho precisa ser percebido como justo: informações, recursos e demandas distribuídos de forma equitativa. É o que mostra a linha de pesquisa relacionada a justiça organizacional e equidade.

O profissional necessita também se sentir respeitado e ouvido nas decisões e nas atividades. Por sua vez, cabe ao líder de equipe combinar as forças pessoais dos profissionais às demandas de trabalho, estruturar um ambiente colaborativo e uma comunicação adequada, entre outros fatores. É necessário ressaltar que o líder, que tem influência sobre boa parte dos fatores causais da motivação, é julgado o tempo todo, por palavras, ações e omissões.